Produção animal orgânica demanda maior número de farmácias homeopáticas

Registros no Mapa pautam reunião do CRMV-SP com Superintendência

 
O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP) esteve na Superintendência do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) no Estado de São Paulo para falar da produção orgânica de alimentos de origem animal e da atuação de médicos-veterinários homeopatas paulistas em propriedades certificadas pelo órgão federal.
“O Regional quer contribuir, dialogando sobre o registro de farmácias homeopáticas aptas a dispensar medicamentos às empresas que atuam com produção orgânica”, diz o médico-veterinário Odemilson Donizete Mossero, vice-presidente do CRMV-SP.
Mossero comenta que o Conselho visa auxiliar na criação de condições para o atendimento à crescente demanda por prescrição e terapêutica homeopática veterinária, tendo em vista o significativo aumento do número de propriedades orgânicas certificadas, o que reflete a busca da sociedade por produtos com esse perfil.
O vice-presidente do CRMV-SP e o presidente da Comissão Técnica de Homeopatia Veterinária (CTHV) do Regional, Fábio Fernando Ribeiro Manhoso, foram recebidos pela Superintendente do Mapa/SP, Dra. Andrea Figueiredo Procópio de Moura, e pelo chefe da Divisão Administrativa da Superintendência, Elias Leonel. Na ocasião, um ofício tratando do assunto foi entregue à representante do Ministério.
“A proposta é colaborar, ainda, para com o aumento do alcance dos benefícios oferecidos por substâncias manipuladas de forma individualizada”, enfatiza o presidente da CTHV. Para Manhoso, o trabalho por uma homeopatia veterinária valorizada demanda várias frentes, sendo a comissão uma dessas, aliada a Associação Médica Veterinária Homeopática Brasileira (AMVHB), que é habilitada para conceder o título da especialidade.
O médico-veterinário chama atenção, também, para o crescente mercado de produtos homeopáticos veterinários industrializados no País, o que demonstra o potencial e o novo perfil da especialidade, assim como um melhor entendimento dos reflexos da saúde animal à humana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *