Proteção Animal Mundial prorroga inscrições para a segunda edição do prêmio “Cidade Amiga dos Animais”

Municípios terão até 28 de agosto para se inscreverem, o vencedor ganhará equipamentos e investimento em treinamentos de capacitação

A Proteção Animal Mundial, organização não-governamental (ONG) que atua em prol da melhoria do bem-estar animal, prorroga até sexta-feira, dia 28, as inscrições para a segunda edição da premiação “Cidade Amiga dos Animais”. Voltado para cidades latino-americanas, o prêmio visa identificar e difundir estratégias inovadoras de manejo humanitário de populações caninas e felinas aplicadas de forma integrada por governos locais.

Em 2019 três cidades foram premiadas: Bogotá (1º lugar), Conselheiro Lafaiete (2º lugar) e São Paulo (3º lugar). Já neste ano, o concurso contará com nove categorias e os candidatos poderão se inscrever em todas que desejarem e estiverem relacionadas às ações aplicadas pela sua secretaria. A cidade que se destacar em mais categorias poderá ganhar o prêmio de GANHADOR GERAL. Para difundir e valorizar iniciativas inovadoras, garantindo que elas possam ser implementadas em outros municípios, a Proteção Animal Mundial publicará um livro digital com as nove melhores estratégias de manejo de cães e gatos e com as ações da cidade vencedora.

“Os efeitos positivos da convivência com animais na saúde e no bem-estar humano são bastante conhecidos. Porém, o excesso de cães e gatos em situação de rua pode trazer conflitos com a comunidade e as formas de lidar com isso ainda são pouco explorada. Cães e gatos abandonados nas ruas podem trazer problemas como transmissão de zoonoses, mordidas, poluição ambiental, poluição sonora, acidentes de trânsito e até impacto no turismo”, explica Rosângela Ribeiro, gerente de campanhas veterinárias da Proteção Animal Mundial no Brasil.

No Brasil, mais de 30 milhões de cães e gatos vivem nas ruas. Diante da atual crise enfrentada em virtude da pandemia de Covid-19, essa população sofre com questões como desnutrição, maus-tratos e abandono, políticas claras em relação ao manejo de animais, como medidas de cuidados com a saúde, controle reprodutivo, educação, identificação, legislação e controle do comércio, auxiliam no bem-estar de toda a comunidade em momentos como esse.

Para concorrer, as cidades precisam ter programas relacionados ao manejo humanitário de populações de cães e gatos, como controle reprodutivo, educação em guarda responsável, etc. visite o regulamento e veja as categorias em que seu município poderá concorrer.

A cidade vencedora DO PRÊMIO GERAL receberá um prêmio de R$25.000,00 reais em materiais e/ou treinamentos de capacitação para melhorar as ações de manejo. Já os municípios vencedores por categoria serão reconhecidos e homenageados pela ONG.

Apenas funcionários ou gestores do departamento responsável pelos programas de manejo podem se inscrever. Para isto, basta acessar o site http://bit.ly/2ZlHB5C, ler o regulamento e preencher o formulário online.

Os vencedores serão conhecidos no dia 19 de outubro, por meio de publicação no site da organização.

Criado e coordenado pela Proteção Animal Mundial, o prêmio Cidade Amiga dos Animais conta com o apoio do OIE (organização mundial de saúde animal), do Instituto Medicina Veterinária do Coletivo (IMVC/ITEC), do Conselho Federal de Medicina Veterinária do Brasil (CFMV), da Associação Mundial de Veterinários de Pequenos Animais (WSAVA) e da Coalizão Internacional para o Manejo de Animais de Companhia” (ICAM).

Nesta edição, a PANAFTOSA-OPAS/OMS nos apoiará no processo de avaliação dos projetos.

Sobre a Proteção Animal Mundial (World Animal Protection)

A Proteção Animal Mundial (anteriormente conhecida como Sociedade Mundial para a Proteção Animal) mudou o mundo para proteger os animais por mais de 50 anos. A organização trabalha para melhorar o bem-estar dos animais e evitar seu sofrimento. As atividades da organização incluem trabalhar com empresas para garantir altos padrões de bem-estar para os animais sob seus cuidados; trabalhar com governos e outras partes interessadas para impedir que animais silvestres sejam cruelmente negociados, presos ou mortos; e salvar as vidas dos animais e os meios de subsistência das pessoas que dependem deles em situações de desastre. A organização influencia os tomadores de decisão a colocar os animais na agenda global e inspira as pessoas a mudarem a vida dos animais para melhor. Para mais informações acesse: www.protecaoanimalmundial.org.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *