Médicos-veterinários alertam para os riscos da falta de anestésicos

Diante da iminente escassez de fármacos específicos de sedação, anestesia, bloqueio neuromuscular e controle hemodinâmico, a Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA) emitiu uma nota com o objetivo de que autoridades, laboratórios farmacêuticos e distribuidores mantenham o compromisso de abastecimento destes medicamentos no mercado, sobretudo neste momento em que a saúde pública enfrenta a pandemia do novo coronavírus (SARS-Cov-2), que causa a Covid-19.

No entanto, a ausência destes produtos anestésicos impacta diretamente na saúde pública veterinária, uma vez que as áreas de Anestesiologia, Cirurgia e Intensivismo Veterinário fazem uso destes produtos nos procedimentos cirúrgicos de animais, como as cirurgias eletivas e de esterilização de cães e gatos.

“A qualidade e a segurança dos procedimentos cirúrgicos e anestésicos, muitas vezes, estão diretamente ligadas a alguns desses fármacos e, por isso, existe o risco do cancelamento de procedimentos e até mesmo a realização com menor segurança e baixa qualidade”, alerta o médico-veterinário, Vinícius Lourenço, que é especializado em anestesiologia veterinária e atua na clínica médico-veterinária de animais de companhia.

O médico-veterinário especializado em anestesiologia veterinária, Leonardo Waldstein, relembra as mudanças significativas pela qual a Medicina Veterinária passou há algumas décadas, especialmente com a criação da especialidade de anestesiologia veterinária e o acesso do médico-veterinário a medicamentos de melhor qualidade e com menos efeitos adversos, muitos destes produtos oriundos da Medicina Humana. “Com isso, um maior número de animais passou a ter condições de ser submetido a procedimentos cirúrgicos com maior segurança”, afirma Waldstein.

Saúde Pública

Outro ponto que preocupa os médicos-veterinários especializados em anestesiologia veterinária é o impacto que a escassez destes fármacos pode causar na saúde pública, uma vez que são utilizados também nas campanhas de esterilização de cães e gatos, promovidas por órgãos públicos, contribuindo de forma significativa para a saúde pública nacional.

A falta de anestésicos pode comprometer a realização de cirurgias eletivas e campanhas de esterilização de cães e gatos. (Imagem: divulgação)

“A saúde pública pode ser diretamente afetada caso a escassez de anestésicos perdure, existindo um risco iminente de cancelamento de cirurgias eletivas e das campanhas de esterilização de cães e gatos, que exercem papel fundamental tanto no controle populacional como na prevenção de zoonoses”, afirma o médico-veterinário, Vinícius Lourenço.

Com o risco da diminuição destas campanhas de castração de cães e gatos por falta de produtos anestésicos, o médico-veterinário, Leonardo Waldstein, teme por um retrocesso em todos os esforços empregados até hoje para o controle populacional de animais não domiciliados em todo o País, além da questão do bem-estar animal.

“Isso gera uma enorme preocupação para a nossa classe. Sem contar que, com o aumento dessa população devido à impossibilidade do desenvolvimento das atividades veterinárias, colocamos esses mesmos animais ao risco de agressões e ao risco de pensamentos equivocados de que a matança dos animais é a forma mais eficaz para a redução das populações de cães e gatos em localidades públicas, principalmente em regiões mais carentes”, alerta o médico-veterinário, Leonardo Waldstein.

A nota da Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA), emitida em 25 de junho de 2020, pode ser lida na íntegra aqui.

Fonte: Assessoria de Comunicação do CRMV-RJ com informações da SBA.

CRMV RJ | Conselho Regional de Medicina Veterinária

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *