Comissão de Medicina Veterinária Integrativa do CRMV-RS é a primeira do Brasil

Constituído em 2019, grupo está organizando simpósio em Porto Alegre

Cada vez mais, tutores procuram terapias integrativas que melhorem a qualidade de vida e ofereçam recursos terapêuticos para diversas doenças de seus animais. Atento a esse movimento e às evidências científicas, que mostram os benefícios de associar tais terapias a técnicas convencionais na prevenção ou tratamento, o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Rio Grande do Sul (CRMV-RS) é o primeiro do Sistema CFMV/CRMVs a criar uma comissão dedicada ao tema.
A Comissão de Medicina Veterinária Integrativa do CRMV-RS foi instituída pela Portaria nº 10/2019 do Regional. É composta por: Elisandra Pezzetta (coordenadora), Viviane Machado Pinto (secretária), Irene Breitsameter, Cristiane Carvalho Gonçalves, Eloete Teixeira Reyes, Giane M. M. Fernández del Rio, Adriano Alves Jorge, Marli Conceição Verdum, Gabriela Lye Suzuki Santos, e Graciela Naibert Giurni.

Na foto, a médica-veterinária Giane del Rio, integrante da comissão, aplica terapia neural.

“A comissão trabalha para mostrar a eficácia e a importância dessas modalidades terapêuticas”, afirma Lisandra Dornelles, presidente do CRMV-RS. A comissão organizou no estado, em 2019, o 1º Fórum de Ozonioterapia da Região Sul. Para este ano, estão programadas visitas às faculdades de Medicina Veterinária do estado e o 1º Simpósio de Medicina Veterinária Integrativa, já com data marcada: dias 12 e 13 de setembro, em Porto Alegre.
Acupuntura e homeopatia, reconhecidas como especialidades médico-veterinárias, estão entre as terapias mais populares. Ozonioterapia e terapia neural, fitoterapia, antroposofia, osteopatia, quiropraxia, reflexoterapia, reiki, aromaterapia, constelação familiar, cromoterapia, musicoterapia, entre outras, também se enquadram no rol das integrativas, mas ainda aguardam regulamentação. Um dos focos da comissão é justamente auxiliar na reunião de publicações e estudos com evidências científicas para que essas práticas sejam enquandradas como especialidades da Medicina Veterinária.
As terapias integrativas não substituem o tratamento tradicional, sendo aplicadas de forma complementar e indicadas de acordo com as necessidades de cada caso. A atuação multidisciplinar busca bem-estar, qualidade de vida e produtividade das diferentes espécies, incluindo animais de companhia, de produção ou silvestres.
“No dia a dia do profissional, percebemos que a medicina convencional tem mais eficácia quando aplicada em conjunto com as terapias integrativas. Se falamos em animais de companhia, qualificação da produção ou economia de dinheiro investido em tratamentos, um exemplo simples é a redução do uso de antibióticos em mastites para produtores de leite, mas há inúmeros exemplos”, explica a coordenadora da comissão.
Para informar sobre os benefícios dessas práticas, o CRMV-RS preparou uma campanha disponível para download no site do Regional, no menu Campanhas Institucionais. O material fornece informações fundamentais sobre algumas dessas terapias e foi preparado com base em informações do Ministério da Saúde e em estudos da própria comissão regional, destacando a importância de médicos-veterinários para a manutenção da saúde única. No Portal CFMV, menu Material Complementar da Revista CFMV, estão disponíveis mais informações sobre algumas terapias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *