Animal Equality lança campanha para salvar pintinhos de serem triturados vivos no Estado de São Paulo

A Animal Equality, organização internacional de proteção animal, lança nesta quinta-feira (11/2) uma campanha para impedir que milhões de pintinhos machos sejam triturados vivos em incubatórios do Estado de São Paulo. O objetivo da mobilização é pressionar os deputados para aprovar o Projeto de Lei 1.045/2015, que proíbe a prática em todo o Estado.
⠀⠀⠀

Pintinhos machos são considerados inúteis pela indústria de ovos. Eles também não servem para o abate porque a raça das galinhas poedeiras é diferente da raça dos frangos usados para produção de carne. “Os animais são jogados ainda vivos em grandes trituradores ou sufocados até em sacos plásticos. É comum encontrar trituradores em mau estado de conservação, com lâminas que não funcionam corretamente e prolongam ainda mais o sofrimento dos animais”, diz Carla Lettieri, nova diretora-executiva da Animal Equality Brasil.
⠀⠀⠀

De acordo com estimativas da Animal Equality, anualmente, 80 milhões de pintinhos machos são triturados vivos no Brasil em suas primeiras 24 horas de vida. “É importante que a proibição comece por São Paulo porque o Estado é hoje o maior produtor de ovos do país. Vamos trabalhar para que outros estados também adotem a legislação”, afirma Lettieri.
⠀⠀⠀

Já existe no mercado tecnologia alternativa para evitar essa crueldade. Chamado sexagem in-ovo, o método, já em uso na Alemanha, Suíça e França, detecta o sexo dos embriões, o que permite que esses ovos sejam descartados no início do desenvolvimento embrionário, de preferência antes dos seis dias de incubação, pois até esse momento tem-se a garantia que o embrião não tem a capacidade de sentir dor.
⠀⠀⠀

Sobre a Animal Equality – Animal Equality é uma organização internacional de proteção de animais presente nos Estados Unidos, Inglaterra, Espanha, Alemanha, Itália, Índia, México e Brasil. A Animal Equality inspira pessoas no mundo todo a adotarem escolhas mais humanas e sensíveis em relação aos animais e se dedica a defender animais criados para consumo por meio de projetos de educação, advocacy, relações corporativas e investigações.

⠀⠀⠀

Fonte: Alter Comunicação

Imagem: Pixabay

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *